Desidratação e hipertermia podem surgir pela exposição a calor elevado; geriatra dá dicas para prevenir

As temperaturas elevadas dos meses de verão exigem cuidados redobrados com a saúde, em especial, com os idosos, que possuem o organismo mais suscetível à desidratação pelo calor. Eles também estão mais expostos a quadros de hipertermia, que é a elevação excessiva da temperatura corporal.

Quem faz o alerta é o Dr. Marco Guerra, médico geriatra do Hospital Santo Antonio, de Votorantim (SP). “Os idosos são sensíveis a extremos, como muito calor ou frio, o que pode fazer com que o organismo não consiga equilibrar a temperatura adequadamente. Caso permaneçam muito tempo ao sol ou expostos a altas temperaturas, o corpo pode não resfriar adequadamente, causando desidratação e hipertermia”, alerta.

O especialista explica que isso acontece, pois, quando envelhecemos, o organismo perde eficiência na capacidade de se adaptar a temperaturas extremas. “Isto acontece, pois o metabolismo diminui, então, tudo fica mais lento. Além disto, alguns medicamentos também podem contribuir para o quadro”, adverte o médico, desaconselhado, sempre, a automedicação.

Dr. Guerra orienta que, além de cuidado especial com a saúde dos idosos, é preciso estar atento aos sinais de que algum problema pode estar acontecendo. “Fraqueza, suor em excesso ou falta de suor são os primeiros sintomas de que há algo errado. Caso o quadro permaneça, pode surgir dor de cabeça, irritabilidade e, nos casos graves de desidratação, até convulsões que podem levar ao coma”, destaca.

Caso algum sintoma for observado, deve-se, imediatamente, conduzir a pessoa para um ambiente de clima mais ameno e oferecer água fresca, para hidratar e baixar a temperatura.  “Mesmo que os sintomas desapareçam, é preciso ir ao médico, para certificar-se de que tudo está bem e não há mais nenhum risco à saúde. Em casos de sintomas mais graves, deve-se, imediatamente, procurar um serviço de saúde, pois o rápido socorro pode evitar complicações”, acrescenta Dr. Guerra.

A principal medida que pode ser tomada para evitar esses problemas é a prevenção, finaliza o médico. “Beber sempre muita água, ingerir frutas frescas, não passar muito tempo ao sol ou em ambientes com temperaturas elevadas são cuidados simples, mas que podem evitar esses problemas e não provocar nenhum susto”, aconselha.

“Além disso, também é importante frisar que o sol é benéfico à saúde, pois ajuda a metabolizar a vitamina D, essencial para fortalecer os ossos. Mas, para isto, é preciso que se dê preferência à exposição nas primeiras horas do dia, ou no fim da tarde, evitando as temperaturas mais altas”, conclui.

 

Mais informações podem ser obtidas pelo site: www.hospitalsantoantonio.com.br ou pelo telefone (15) 2101-0001.


AS INFORMAÇÕES E OPINIÕES EXPRESSAS NESTA COLUNA SÃO DE RESPONSABILIDADE ÚNICA DO AUTOR.


Compartilhe

LEIA TAMBÉM

Centro de Convivência do Idoso recebe palestra sobre saúde bucal

Ao fim da palestra, todos os beneficiários foram presenteados com escovas de dente.

Saúde promove Semana de Mobilização contra o Aedes aegypti em Cerquilho

A Secretaria da Saúde e Promoção Social pede a colaboração dos munícipes com a chegada do Verão, período de calor e chuvas, aumenta o risco de

Clínica Márcia Gaspar

Confira as especialidades oferecidas na clínica para garantir o bem-estar

Dezembro Laranja

Como fazer o autoexame contra o câncer de pele

Diabetes gestacional é fator de risco para futuras mamães

Se a doença não for controlada pode causar problemas até para o bebê