Desidratação e hipertermia podem surgir pela exposição a calor elevado; geriatra dá dicas para prevenir

As temperaturas elevadas dos meses de verão exigem cuidados redobrados com a saúde, em especial, com os idosos, que possuem o organismo mais suscetível à desidratação pelo calor. Eles também estão mais expostos a quadros de hipertermia, que é a elevação excessiva da temperatura corporal.

Quem faz o alerta é o Dr. Marco Guerra, médico geriatra do Hospital Santo Antonio, de Votorantim (SP). “Os idosos são sensíveis a extremos, como muito calor ou frio, o que pode fazer com que o organismo não consiga equilibrar a temperatura adequadamente. Caso permaneçam muito tempo ao sol ou expostos a altas temperaturas, o corpo pode não resfriar adequadamente, causando desidratação e hipertermia”, alerta.

O especialista explica que isso acontece, pois, quando envelhecemos, o organismo perde eficiência na capacidade de se adaptar a temperaturas extremas. “Isto acontece, pois o metabolismo diminui, então, tudo fica mais lento. Além disto, alguns medicamentos também podem contribuir para o quadro”, adverte o médico, desaconselhado, sempre, a automedicação.

Dr. Guerra orienta que, além de cuidado especial com a saúde dos idosos, é preciso estar atento aos sinais de que algum problema pode estar acontecendo. “Fraqueza, suor em excesso ou falta de suor são os primeiros sintomas de que há algo errado. Caso o quadro permaneça, pode surgir dor de cabeça, irritabilidade e, nos casos graves de desidratação, até convulsões que podem levar ao coma”, destaca.

Caso algum sintoma for observado, deve-se, imediatamente, conduzir a pessoa para um ambiente de clima mais ameno e oferecer água fresca, para hidratar e baixar a temperatura.  “Mesmo que os sintomas desapareçam, é preciso ir ao médico, para certificar-se de que tudo está bem e não há mais nenhum risco à saúde. Em casos de sintomas mais graves, deve-se, imediatamente, procurar um serviço de saúde, pois o rápido socorro pode evitar complicações”, acrescenta Dr. Guerra.

A principal medida que pode ser tomada para evitar esses problemas é a prevenção, finaliza o médico. “Beber sempre muita água, ingerir frutas frescas, não passar muito tempo ao sol ou em ambientes com temperaturas elevadas são cuidados simples, mas que podem evitar esses problemas e não provocar nenhum susto”, aconselha.

“Além disso, também é importante frisar que o sol é benéfico à saúde, pois ajuda a metabolizar a vitamina D, essencial para fortalecer os ossos. Mas, para isto, é preciso que se dê preferência à exposição nas primeiras horas do dia, ou no fim da tarde, evitando as temperaturas mais altas”, conclui.

 

Mais informações podem ser obtidas pelo site: www.hospitalsantoantonio.com.br ou pelo telefone (15) 2101-0001.


AS INFORMAÇÕES E OPINIÕES EXPRESSAS NESTA COLUNA SÃO DE RESPONSABILIDADE ÚNICA DO AUTOR.


Compartilhe

LEIA TAMBÉM

Boituva contará com veículo para transporte de vacinas

A Pegeout Partner Furgão foi entregue na terça-feira (6), no Paço Municipal

Saúde promove Semana de Mobilização contra o Aedes aegypti em Cerquilho

A Secretaria da Saúde e Promoção Social pede a colaboração dos munícipes com a chegada do Verão, período de calor e chuvas, aumenta o risco de

Novembro laranja

Mutirão realizado em Sorocaba constata que problemas de audição atingem população cada vez mais jovem

Entenda: o que é AVC?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do AVC

Novembro azul: campanha expande conscientização para saúde geral do homem

Originalmente focado no câncer de próstata, movimento pretende que homens de todas as idades cuidem melhor de si